terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Lembranças, memórias, saudades e prateleiras.


Eu gostaria muito que 2011 se congelasse.
Foi nele que eu tive seu último sorriso, último abraço, último beijo e sua última lembrança.
2012 vai chegar, tudo vai zerar, não haverá nada de você além das lembranças dos anos anteriores.
Por mais que o tempo passe, as memórias que tenho de você não ficam borradas, distorcidas ou esquecidas, elas ficam cada vez mais nítidas.
Quando a contagem regressiva acabar e o novo ano entrar, você vai ficar um pouco mais longe do tempo das memórias.
Mas tudo bem, você vai continuar tendo o mesmo canto, na mesma caixa, na mesma prateleira, no meu coração.

Ana Flavya Rigolon

7 comentários:

elise disse...

que lindo!

Rafael Castellar das Neves disse...

Dizem que o tempo cura tudo. Eu costumo dizer que o tempo não cura nada, apenas nos ajuda a guardar num canto escuro (que, escondidos, visitamos vez ou outra). O que cura são os remédios.

[]ss

Henrique Miné disse...

desde que sobre um espaço, é o melhor que você faz! =)

Desirée disse...

talvez seja recomeçar que você precise. algumas vezes não entendemos o que Deus prepara para nós, mas quando o coração tá bem apertadinho talvez só precisemos recomeçar.

Algo Estranho... Alguém Diferente! disse...

adoro o blog, sigo*

André Walker disse...

Fico feliz mesmo quando vejo alguém contar sobre momentos únicos, que bom que para você esse ano foi bom ^^
bom, estou por aqui!
um abraço!

Camila Sanches e Amanda Sanches disse...

Te entendo muuuuito viu?
É tão difícil dar adeus, aceitar que tudo vai ir se distanciando cada vez mais :/

bjs flor :*